635f353c-7c09-465d-bf95-803ca189920e
CONFEITARIA DA CHEF CRISTIANE BERTHO FAZ SUCESSO NA ESCOLA DE PANIFICAÇÃO
23 de agosto de 2017
slide
DIA MUNDIAL DO PÃO TEM PRODUTOS SEM IMPOSTO EM CURITIBA
14 de outubro de 2017

SIPCEP E MOINHO ANACONDA COMEMORAM SUCESSO DE CURSO

IMG_2482
A todo instante os alunos ouviam com atenção as dicas do chef Eldon Strey, responsável pela assistência técnica ao cliente do Moinho Anaconda, líder de mais um curso de Pães Rústicos, que lotou a Escola de Panificação Loibe de Oliveira, no SIPCEP. Com a ajuda dos assistentes Alex Hreneczen e Darci Tissiani Júnior, o grupo teve em dois dias de aula contato com receitas especiais e explicações técnicas sobre tempo de descanso da massa, temperatura do forno e outros detalhes importantes.
 
“Queremos trabalhar com pães rústicos em nossa padaria, devido a alta procura dos clientes. E o conteúdo do curso vai ser fundamental em nosso trabalho. Um padeiro precisa estar ligado nas novidades, não pode ficar parado. E nada melhor para inovar do que a ajuda de uma equipe competente com a do chef Eldon”, avalia o padeiro Luciano Souza Dutra, da Florenze Pães e Doces. Há 15 anos na profissão, ele conta que muita coisa mudou durante o período. “Mudou e continua mudando, é um trabalho dinâmico. Se você ficar só dentro da produção, fechado no que faz, acaba ficando defasado. Por isso que encontros como esse aqui são decisivos para ampliar os horizontes”, comenta.
 
Fundamental para a rotina dos funcionários, os cursos do SIPCEP também tem contado com a forte presença dos empresários. Um dos proprietários da centenária Padaria América, Eduardo Henrique Engelhardt, esteve nas aulas compartilhando experiências e mostrando que o aprendizado é essencial. “Quem acha que sabe tudo já está errado. Sempre há algo a aprender. Você abre a visão tendo esse contato com colegas, com um chef experiente, conhece novas receitas e dicas que podem alterar e ajudar a melhorar processos em andamento na padaria. Às vezes é algo que agiliza a produção, outras vezes é descobrir ser melhor retardar o tempo de preparo de um produto para obter mais qualidade. Portanto estar aqui é avivador”, resume.
 
Eduardo aproveitou as aulas para apresentar aos colegas um produto que nasceu durante um curso, realizado no ano passado. “Foi durante um curso de Chocolates que uma funcionária nossa aprendeu a receita de Alfajor. Fizemos ajustes, testes, passamos alguns meses aprimorando a receita para nossa linha de produção e hoje ele está disponível para os clientes. É um sucesso de vendas que nasceu aqui, mostrando como os cursos são enriquecedores”, avalia.
 
Também empresária, Noemi Bassetti, da Padaria Pedrinho, concorda com o colega. Em busca de inovação no mix de produtos da panificadora, esteve atenta às dicas da equipe da Anaconda. “Temos uma rotina de pão francês, integral e de leite, mas o cliente está mais exigente. Queremos investir em receitas de pães italianos, broas, roscas doces, para trair mais público e cativar o atual. E é com atualizações assim, que conseguimos manter e conquistar”, aposta.
 
Entre os alunos, Roberto Alves de Carvalho Júnior anotava receitas e conselhos administrativos, que estão ajudando a finalizar um novo projeto. “Quero abrir um espaço de pães artesanais, rústicos, para serem consumidos acompanhados de cerveja também artesanal, que é a especialidade de um amigo, que será sócio. Então tenho participado dos cursos para dominar as técnicas e oferecer um produto diferenciado e de muita qualidade”, promete. O empreendimento deve sair do papel ainda em 2017. 
 
Entre receitas e aspectos históricos de cada produto, o chef Eldon Strey também compartilhou dicas de marketing e cases de sucesso vividos em mais de 30 anos de profissão. “Eles saem hoje prontos para executar as receitas, com forte base técnica, e com novidades interessantes, como a Torta de Coalhada, que criamos aqui, e também conselhos de venda e apresentação do produto. É muito gratificante ver o retorno de alunos que já vieram outras vezes e contam sobre os resultados obtidos, que agregam com o conhecimento do trabalho diário na panificação. É uma troca gostosa, um aprendizado de mão dupla”, afirma.
 
Após a entrega dos certificados, o presidente do SIPCEP, Vilson Felipe Borgmann, agradeceu a presença dos alunos e comemorou a troca de experiências. “Tenho certeza que as receitas praticadas aqui vão trazer resultados concretos a todos vocês. Com os cursos, vocês aprendem, nós aprendemos, o chef Eldon aprende. É um novo modo de virar a massa, de fornear, de apresentar um produto. Estar aprendendo todos os dias é a maior riqueza que podemos ter”, avalia.